Um dia triste da história do meu país

Um dia triste para o meu país! Fato é que o dia 24 de janeiro de 2018 é um dos dias mais tristes da história política do nosso país... Independentemente de qualquer resultado do julgamento do recurso da condenação do ex-presidente Lula, estamos vivenciando (em nossas ruas e avenidas bloqueadas de Porto Alegre) e sendo testemunhas de um capítulo trágico da nossa democracia. De um lado milhões querem o ex-presidente na cadeia, do outro, outros milhões julgam-no inocente. Algo extremamente comum em uma sociedade que se posiciona e se manifesta favorável ou contra até um personagem de novelas ou letras de músicas, mas o mais importante é que desta vez se julga uma condenação por um suposto (não sou eu quem vai julgar ou expressar a minha opinião por não ter acesso a detalhes) de corrupção, que convenhamos, não é de hoje, não é de agora, e vem de muitos e muitos anos... O dia é triste, porque este é só um caso onde temos um representante escolhido por nós mesmos, povo brasileiro, sendo julgado. E pensar que no Congresso Nacional, no Senado, no Palácio da Alvorada, outras centenas de pessoas que deveriam estar criando alternativas para uma vida melhor para todos nós, estão sendo investigados pelo Ministério Público, pela Polícia Federal e autoridades competentes... É um dia de reflexão. Daqui a pouco teremos eleições, e lembraremos de averiguar o que estes candidatos fizeram nos últimos anos? A história deles? A ficha deles? Saberemos escolher quem vai estar no poder e nos representando? Fato, amigos, que fico na expectativa de uma moralidade quase utópica. Nosso país é muito rico. Sobrevive a uma carga tributária exorbitante. Pagamos impostos sobre impostos. Uns diretos. Outros agregados. E ainda assim, sobrevivemos. Sim, sobrevivemos a uma série de imposições de aumento de alíquotas, taxas, burocracias e falta de uma série de serviços básicos (saúde, educação, segurança... Pra ficar só nos mais importantes...). Vivemos em uma sociedade egoísta, que só pensa em vantagens (lícitas ou não...), em poder, em posição de destaque, sem pensar no próximo, sem pensar em valores, atropelando toda e qualquer ética, desde que isso seja sinônimo de alguma vantagem para o bolso ou para a sua imagem (???) perante aos outros... Ignora-se confiança. Ignora-se gratidão. Enaltece-se como os outros me vêem, e pouco importa a forma como o destaque que julgam ser fundamental, será conquistado. Infelizmente, somos o retrato de tudo aquilo que acompanhamos pelos noticiários do rádio, jornais, portais e televisão. Dia destes avisei a um motorista de uma lotação em Porto Alegre que havia me dado o troco errado, a mais. Ele fez uma cara de espanto que deveria ser normal. Tenho meus compromissos, tenho meus problemas e jamais fugi de qualquer um deles, acredito que esta seja a melhor forma de encarar a vida. 'O mundo é pequeno!' Tenho sido testemunha disso e que bom quando temos somente palavras elogiosas de alguém em relação a nossa conduta. Enfim, evidentemente que como tudo, nada é uma verdade absoluta. Temos sim, muitas pessoas da sociedade, políticos e representantes nossos em cargos do executivo que realizam o seu trabalho com lisura, transparência e honestidade, agora, precisamos ser mais exigentes. O discurso 'ele rouba mas faz' não pode ser dito, como se ser honesto fosse algo raro (e infelizmente é!), mas precisamos nos contentar com mais, e não com o 'pelo menos este rouba pouco'!!! Triste. Vejo um Barack Obama deixar o governo da maior potência mundial sem nenhum arranhão, e aqui, um show de desconfiança, investigados, e escândalos, todos os dias... Precisamos de educação. Precisamos formar uma geração inteligente que seja capaz de mudar a história do nosso país, caso contrário, se sobrevivermos à tudo isso, seguiremos acompanhando estes 'espetáculos' que muitas vezes não resultam em algo efetivo, depois de festivais de embargos e liminares, que apenas mostram o quanto fomos inocentes ou ingênuos demais acreditar em promessas que jamais serão cumpridas. Não fico na torcida de A ou B. Fico na torcida pelo Brasil. E ficar na torcida do meu país, hoje, é saber que quase sempre, vou perder. É ter certeza que a cada dia poderemos ter um novo capítulo e um novo 'dia mais triste na história do meu país'! FB 24.01.2018 Foto: Arte/Internet/Ego




Previous Next

PARCEIROS
FABIANO BRASIL